quarta-feira , 5 de dezembro de 2018
Home / Poemas / Ele não
Kindle paperwhite: Prático como você

Ele não

Compartilhe:

Me perdoe a intromissão,
Mas preciso lhe alertar,
Não é tempo de se isentar,
E sim de dar opinião,
Demarcando a posição.
Essa pauta não é de direita,
Se sua visão não for estreita,
É tampouco de esquerda,
Prevejo a futura perda,
Quando a merda estiver feita.

Não vejo nada de bom,
Em ditadura militar,
Depois de tanto lutar,
Finalmente pude ver,
A democracia florescer.
Não pude ver punido,
O responsável do ocorrido,
Hoje exaltam torturador,
Aplaudindo o explorador,
Ignorando quem é sofrido.

Não pode ser solução,
Só pensar em armamento.
Não entendo o pensamento,
De quem tem doutrinação,
Querendo resolver na bala, a nossa situação.
Não segura nem facada,
Sua macheza é fachada,
Foi parar no hospital,
Mas continua pregando o mal,
Com o apoio da bancada.

Uma coisa me dá agonia:
O preconceito com o Nordeste.
Um povo cabra da peste,
Que luta noite e dia,
Contra a doença da xenofobia.
Falta certo discernimento,
Com quem não tem saneamento,
De esgoto é quase nada,
Falta até água tratada,
Carregada num jumento.

Um povo miscigenado,
Não pode ter preconceito,
A igualdade é um direito,
E o pensamento ultrapassado,
Não pode ser endossado.
Deveria haver punição,
Onde reina a omissão,
Todo racismo é crime,
E não tente ser sublime,
Com quem não tem coração.

Eu me sinto indignado,
Quando xingam uma mulher.
Dizem que não se mete a colher,
Em relacionamento lesionado,
Mas isso deve ser repugnado.
O feminicídio é realidade,
Não entendo tanta maldade,
Vamos combater o machismo,
Lutar contra o sexismo,
Pra que tanta crueldade?

Se não suporta o amor alheio,
Algo explica a homofobia,
Pode ser claustrofobia,
E apenas um anseio,
Eu entendo o seu chateio.
Mas deixe de insanidade,
Procure encarar a verdade,
A vida não é um relicário,
Saia logo desse armário,
E busque a felicidade.

Em período de eleição,
Lembro que o Estado é laico,
Não me venha ser arcaico,
Gerando intriga e confusão,
Combinando governo e religião.
Olhe bem para a história,
E dê a mão à palmatória,
Se a democracia é imatura,
A solução é a literatura,
Para um povo sem memória.

Se você pensa diferente,
É do jogo democrático,
Mas penso ser sintomático,
Iremos bater de frente,
Pois não somos da mesma corrente.
Bolsonaro não é a solução,
Pra presidir essa Nação,
Combina com o belicismo,
Coaduna com o fascismo,
E termino com: Ele não.

Artigos relacionados

Compartilhe:

Sobre Rodrigo Barros

Rodrigo Barros
Empreendedor e escritor, Rodrigo Barros é bacharel em Biblioteconomia e em Sistemas de Informação, com pós-graduação em Gerência de Projetos e MBA em Gestão de Marketing.

Veja também

O homem da toga

Ele diz que crime de caixa dois É pior do que corrupção, Alguns ele deixa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Web Analytics